Salve o Oito de Março

sexta-feira, 6 de março de 2009

Salve o Oito de Março


Pronunciamento do Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Soberano Irmão Marcos José da Silva, em 05 de março de 2009.
Celebramos com regozijo, neste oito de Março, o Dia Internacional da Mulher, data escolhida para comemorar a marcha vitoriosa, embora cheia de obstáculos, da parte feminina da humanidade. Marcha pela igualdade de direitos, pelo reconhecimento social das diferenças e contra a opressão civil e a exploração econômica.

Longe vão os tempos das operárias queimadas vivas dentro da fábrica onde trabalhavam, em Nova Yok, após, ali, encurraladas pela polícia, como repressão a greve por melhores salários e condições de trabalho.

Ainda mais longe, a decapitação de Olímpia de Gouges, condenada pela Convenção, em Paris, dois anos depois de ter dado a público a sua famosa “Déclaration des droits de la femme et de la citoyenne”, contendo um “Contrato Social” entre os sexos, considerado por Norberto Bobbio “a expressão mais orgânica do feminismo racionalista e democrático”.

Foram tempos tenebrosos que as mulheres enfrentaram, mostrando o seu valor de combatentes, o espírito de sacrifício e o firme propósito de transformar a sociedade humana e promover a felicidade geral.

Celebramos, nestes dias, as conquistas, o heroísmo e a disposição das mulheres de subordinarem-se à legenda Liberdade, Igualdade e Fraternidade, tão cara à Sublime Instituição. E o resultado, expresso neste 2009, nas diversas posições políticas dominadas.

Com efeito, importantes países são, hoje, ou foram governados por mulheres, como Alemanha, Inglaterra, Israel, Índia, Paquistão e, em nosso Continente, Argentina e Chile. E lembremo-nos de que mulheres parlamentares ou ocupantes de áreas administrativas menores se espalham pelo mundo, incluindo os Estado Unidos.

No Brasil, a presença da mulher nas lides patríoticas vem do tempo da ocupação holandesa do Nordeste, quando, sequestradas pelos invasores e mantidas como escudos, as Heroinas de Tejucupapo gritaram para os guerrilheiros que abrissem fogo, mesmo sacrificando-as.

O Grande Oriente do Brasil saúda as lutas e as vitórias da mulher brasileira , que percorreram grande parte ou talvez todo o Século XX, marcado, decididamente, pelo advento do voto feminino, em 1932, antes mesmo de grandes países democráticos da Europa .

Que a memória das mártires, que a intrepidez das mulheres guerreiras de todos os tempos e que a disposição de sacrificio das trabalhadoras de todos os continentes sejam a tríplice argamassa que consolidem as vitórias do belo sexo em todas as suas justas iniciativas.

E que o Grande Arquiteto do Universo, o Todo Poderoso e Supremo Àrbitro dos Mundos proteja e guie a luminosa e femínea caminhada por um mundo mais justo e digno para todos”.

Brasília, 05/03/2009

Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral
Você gosto?

.

.