Pronunciamento do Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Soberano Irmão Marcos José da Silva, em 12 de março de 2009

terça-feira, 17 de março de 2009

Pronunciamento do Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Soberano Irmão Marcos José da Silva, em 12 de março de 2009


A Maçonaria defende que a tolerância é “o princípio cardeal nas relações humanas, para que sejam respeitadas as convicções e a dignidade de cada um”.

“É a boa disposição dos que ouvem com paciência opiniões opostas à própria. É também suportar as faltas alheias com indulgência. Só não pode haver tolerância com os erros e o crimes premeditados” - é o que ensina um ritual da Ordem.

Dentro da instituição maçônica tais preceitos assumem importância multiplicada, desde que se trata de uma fraternidade, um processo de união de pessoas que se consideram irmãos, e têm o dever de orientar o mundo circundante.

A convivência entre maçons tem sido, secularmente, realçada pela palavra verdadeira e útil, mas também agradável e respeitosa. É isso o que nos impõe a Constituição do Grande Oriente do Brasil quando determina que estendamos – pelo exemplo, é claro – “os laços fraternais que nos unem a todos os homens esparsos pela superfície da terra”.

É uma aspiração dos maçons que os seres humanos se comuniquem positivamente como irmãos que se amam, em honra de milenar mandamento que nos deixou o Grande Iniciado de Nazaré.


12.03.2009



Marcos José da Silva

Grão-Mestre Geral
Você gosto?

.

.