Janeiro 2012

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Jorge Silva Carvalho e José Manuel Anes deixam maçonaria


«Já falaram com o grão-mestre, tendo-lhe comunicado a decisão de se afastarem», revelou ao SOL uma fonte maçónica.


Entretanto, a GLLP deverá em breve reunir a sua direcção para decidir se fecha a Loja Mozart – isto é, se lhe ‘abate colunas’, como se diz na linguagem maçónica. Se isso acontecer, alguns dos irmãos que a integravam (a maioria dos serviços secretos e do grupo Ongoing) serão desviados para outras lojas_, o que deverá suceder, aliás, com Nuno Vasconcellos, líder da Ongoing. «O mais provável é serem ‘abatidas colunas’ à Mozart», adianta um maçon.


Agência de Imprensa Maçônica da Romênia: Grão-Mestre de Moçambique fez uma visita oficial ao Brasil


O Grão-Mestre de Moçambique foi recebido pelo Grão-Mestre de Minas Gerais (CMSB), Irmão Janir Adir Moreira. Ussumane Aly Dauto falou com seu colega brasileiro sobre o estado atual da Maçonaria em Moçambique e do programa de desenvolvimento.


O Grão-Mestre Ussumane Aly Dauto recebeu a Comenda Mario Behring por parte dos Irmãos brasileiros, uma das mais importantes comendas concedidas.


Loja Tubalcaim nº 64 participa da fundação de uma ONG que fiscalizará licitações do município de Goiânia


No dia 19/12/2011 na sede da PUC/GO, foi fundada uma ONG (Organização Não-governamental), cujo objetivo é a observação e fiscalização das licitações públicas do município de Goiânia. A finalidade principal desta ONG é o combate à corrupção. Várias entidades de classe organizada se fizeram presente neste ato de fundação, incluindo a Maçonaria goiana - Grande Loja e Grande Oriente.


O Irmão Divino Edson Cesar De Morais Junior - Membro da Loja Maçônica Tubalcaim nº64 - se fez presente neste importante ato representando sua Loja, juntamente com o Irmão Gustavo de Oliveira Machado, Juíz do TJM/GLEG e Past-Master da Loja Tubalcaim, que no ato, representou o Sereníssinmo Grão Mestre e a Grande Loja do Estado de Goiás.

Este importante acontecimento, sem dúvida alguma, será um "marco inicial" de uma grande tentativa de fiscalizar e de se evitar a corrupção. No último dia 19/01/2012 outra reunião ocorreu nas dependências da ACIEG, e outras reuniões ainda virão, onde será escolhido o Corpo Administrativo da referida ONG. É a Maçonaria trabalhando e contribuindo no combate à corrupção!


domingo, 29 de janeiro de 2012

Grande Loja de Moçambique


"Desde há vários anos que funcionavam, primeiro uma, depois outra, logo outra, Lojas sob a égide da Grande Loja Legal de Portugal/GLRP, ali estabelecendo as sementes e difundindo os princípios da Regularidade Maçónica. As sementes germinaram, os princípios consolidaram-se, o interesse foi crescendo, a aprendizagem foi-se fazendo. Sempre com a discreta ajuda e enquadramento da GLLP/GLRP.


Estiveram presentes e intervieram na Consagração da Grande Loja de Moçambique e na Instalação do seu primeiro Grão-Mestre, nada mais, nada menos, do que quatro Grão-Mestres: o da GLLP/GLRP, Grão-Mestre Consagrante e Grão-Mestre Instalador, o da Grande Loja da Costa do Marfim, que exerceu os ofícios de Primeiro Grande Vigilante Consagrante e Primeiro Grande Vigilante Instalador, o da Grande Loja das Maurícias, que exerceu os ofícios de Segundo Grande Vigilante Consagrante e Segundo Grande Vigilante Instalador e o da Rússia, que, simbolicamente, tomou a seu cargo a imposição do Avental de Grão-Mestre ao recém-instalado Grão-Mestre de Moçambique", disse Rui Bandeira.


sábado, 28 de janeiro de 2012

PELA AÇÃO OU PELA OMISSÃO, SOMOS ARQUITETOS DO FUTURO


Através de frases curtas, objetivas, comunicativas e de fácil interpretação, leva-se a mensagem com maior conteúdo. Frase é uma reunião de palavras que formam um sentido completo. É uma sentença curta e direta. A frase atravessa séculos e milênios, quando feita e inspirada na sabedoria. Registro neste artigo uma primeira frase produzida antes de Cristo. Hoje, mais do que nunca, deveria ser para o homem público de boas intenções e para o cidadão de uma maneira geral, guia para o seu comportamento.

Mas diante dos acontecimentos que vêm ocorrendo na sociedade brasileira, em todos os poderes públicos, privados, religiosos e outros, é uma frase assustadora e muito mal recebida. Em época do regime militar era, inclusive, frase perigosa para quem a proferia. Há 2065 anos, exatamente no ano 55 a.C., Marcus Tullius Cícero, poeta, filósofo, senador, uma das mentes mais versáteis da Roma Antiga, orador impressionante, advogado de sucesso e apreciado, principalmente pelo seu humanismo, trabalhos filosóficos e políticos, disse a seguinte frase:


“O orçamento nacional deve ser equilibrado. As dívidas devem ser reduzidas. A arrogância das autoridades deve ser moderada e controlada. Os pagamentos a governos estrangeiros devem ser reduzidos se a nação não quiser ir à falência. As pessoas devem, novamente, aprender a trabalhar, em vez de viver por conta pública.” Em outra e curta frase resumiu: “O maior estímulo para cometer faltas é a esperança de impunidade.”

Sobre a impunidade muitas afirmativas conjugam todo o pensamento com Cícero, senão vejamos. De Marquês de Maricá, pseudônimo de Mariano José Pereira da Fonseca, político carioca, que nasceu e viveu no Rio de Janeiro entre 1773 a 1848: “O sistema de impunidade é também o promotor dos crimes.”

“O problema fundamental é a impunidade, que criou um tipo de cultura.” Mário Covas, senador e governador de São Paulo, falecido em 22 de janeiro de 2001. “A impunidade gera audácia dos maus.” Carlos Lacerda, governador do Rio de Janeiro, falecido em maio de 1977. Ainda do Marquês de Maricá: “A impunidade tolerada pressupõe cumplicidade.” “A impunidade promove os crimes, e de algum modo os justifica.” “A impunidade é segura, quando a cumplicidade é geral.”

Quando a corrupção na vida pública brasileira vai tornando-se natural; quando estamos na perspectiva, até já antecipada, de que crimes como o mensalão estarão prescritos em 2013 e os seus julgadores não terão o tempo, segundo se anuncia, de lerem as centenas de milhares de páginas; quando a Suprema Corte da justiça brasileira não se define, empatando um julgamento de posse de um senador que já foi alvo de muitos escândalos, deixando para um só homem iluminado e de “sabedoria divina”, decidir pela justiça e verdade, nós ficamos perplexos e atônitos, não tendo a certeza para onde estamos indo.

Corrupção e impunidade estão juntas. Muitos acreditam que os corruptos flagrados pela Polícia Federal, Ministério Público e jornalismo investigativo, são dignos de piedade.

Constrangedoramente aparecem na TV, jornais, ora chorando, ora dizendo que são perseguidos pela imprensa, também afirmando que, são articulações de adversários políticos e outro, fazendo declaração idiota e falsa à presidente da República, tentando comovê-la para mantê-lo no cargo.

A moralidade no serviço público está melhorando. A presidente Dilma Rousseff, como não permitiu em outros casos, continuará sendo rigorosa e não permitirá que o orçamento de um ministério específico para socorro, sobretudo, em tempos de seca ou de excessivas chuvas, seja carreado para um só estado, com fins políticos, enquanto outros estão se derretendo e sepultando vivos, muitos dos seus habitantes. O povo acredita, daí decorrendo o seu alto índice de aceitação, que a presidente Dilma não se afastará, pela sua história pessoal, do combate à corrupção.

Corrupção e impunidade, fatores que caracterizam a cultura brasileira. Se não tivermos alterações em nossas leis e no sistema de fiscalização pública, a impunidade continuará acelerando o crescimento da estatística criminal. Estamos chegando, se não houver paradeiro, ao ponto previsto pelo maçom, jurista, escritor e político brasileiro, Rui Barbosa, quando em discurso intitulado historicamente de “Oração aos Moços”, pronunciado como paraninfo da turma de 1920, da Faculdade de Direito, do Largo de São Francisco, em São Paulo, disse: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.”

Neste artigo, trazendo o exemplo de Cícero para a atualidade, citei frases de brasileiros enfocando corrupção e impunidade. Não esperançoso, mas certo que os profissionais do sistema de segurança em Goiás, Polícias Civil e Militar, estão reforçados e motivados por terem assumido recentemente os seus comandos, a delegada Adriana Accorsi e o coronel Edson Costa Araujo. Com ela, profissional competente, comunicativa e primeira mulher a assumir a direção geral, integrei reuniões voltadas para os direitos humanos e o problema de drogas. O coronel Edson Costa Araujo é homem probo, humano, profissional sério e maçom que honra nossa instituição em Goiás. Cumprimentamos o governador Marconi Perillo pelas duas designações.

O Comandante da Polícia Militar de Goiás, em suas repetidas afirmativas à imprensa e ao Jornal Opção, (edição de 8 de janeiro), fez a seguinte declaração: “A corrupção vem trazendo consequências danosas. Vemos os pináculos da República sendo atingidos de forma violenta. Isso não nos deve assustar pelas figuras atingidas, mas pelo patamar que alcançou. O Brasil precisa fazer uma reflexão profunda sobre a questão ética e moral para podermos realmente passarmos o país a limpo.”

Parabéns doutora Adriana Accorsi e coronel Edson Costa Araujo pela missão de relevância assumida e que nós goianos confiamos e estamos mais seguros, especialmente, na repressão que deve ser cada vez mais intensa ao tráfico de drogas e ao uso do álcool por pessoas que conduzem veículos.

Estou há 15 anos no trabalho de prevenção ao uso de drogas, via Programa Maçonaria Contra as Drogas – A Favor da Vida, instituído em 1997, junto com José Ricardo Roquette e as orientações de dois seres humanos referenciais que precisam mais reconhecimento da família goiana. Professora Maria Sônia França e o saudoso e inesquecível Jamil Issy.

Com eles aprendi muito e transmito neste momento em que todos se voltam para o problema do crack e na recuperação dos usuários, de que esta ação é importantíssima, por isto, acredito e espero para brevemente, a instalação de vários Credeq (Centro de Recuperação de Dependentes Químicos), que o governador Marconi Perillo, em recepção aos maçons no mês de dezembro, reafirmou de que 3 centros serão instalados em 2012. Outra ação importante é a repressão ao tráfico na extensa fronteira de milhares de quilômetros com Bolívia, Peru e Colômbia, portas de entrada e trânsito da cocaína.

Mas acima destas duas providências está a mais importante, a prevenção. E esta prevenção, lamentavelmente encontra omissão da família, pois o mal dos nossos dias é o desequilíbrio das relações familiares, produzindo jovens vazios e desorientados. Estamos vivendo em um ambiente social profundamente incentivador ao uso de drogas, a começar no interior das famílias, que cultuam a álcool em todas as suas comemorações e tristezas.

Provado está que o usuário do crack não o faz como primeira droga que experimenta, mas sim iniciando pelo álcool, muitas vezes em ambientes e festas familiares. Se a família não investir na prevenção ao uso de drogas, sendo exemplo dos pais para com seus filhos e se prioridade não houver dos poderes públicos na ponta, antes do uso, da experimentação, embora com repressão e tratamento, a situação se agravará. Na verdade a prevenção é um trabalho junto ao não usuário, para que ele não se torne dependente. Este é o caminho maior, a melhor forma de defesa de nossa juventude.

Artigo do Grão Mestre Barbosa Nunes


Campanha de Ajuda Humanitária – Enchentes em Minas Gerais


Mais uma vez parte da população de nosso Estado sofre em consequência dos altos índices pluviométricos que atingem diversas regiões de Minas Gerais, o que nos faz agir no sentido de amenizar a dor e o sofrimento das pessoas que vivem nas cidades afetadas pelos efeitos das chuvas.

A Grande Loja Maçônica de Minas Gerais, através de suas Lojas Jurisdicionadas, Irmãos e Familiares, conscientes da responsabilidade social que lhes cabe, está empenhada nessa missão de ajuda humanitária, seja através do recolhimento e envio de donativos (gêneros alimentícios, água mineral, fraldas descartáveis, produtos de higiene pessoal e material de limpeza), como também por meio de uma conta bancária, captando doações em dinheiro, caso os Irmãos e Lojas optarem por essa forma de ajuda.

Neste sentido, vimos à presença de todos, em especial de nossos Veneráveis Mestres, solicitar disposição diante desse grande desafio a ser vencido por toda a sociedade e, ao mesmo tempo agradecer o empenho e determinação daqueles que objetivamente já se envolveram com tão relevante causa maçônica.

Como ajudar?


PROGRAMA MAÇONARIA CONTRA AS DROGAS À DISPOSIÇÃO DAS LOJAS


O Secretário Executivo do Programa Maçonaria Contras as Drogas – A Favor da Vida, Irmão Alberto Alves de Oliveira, muito animado e conclamando às Lojas e maçons para inserirem palestras e seminários em suas Oficinas, que sem ônus algum, é ministrado pela equipe, que se reuniu no dia 25 de janeiro, quarta feira, definindo toda a programação a ser realizada pela Loja Acácia Campo Alegrense no dia 10 de fevereiro de 2012, sexta feira.


A reunião foi conduzida pelo Secretário Executivo, participando os palestrantes e membros da equipe, João Batista Machado, Victor Dragalzew Junior, Lindonor Ribeiro dos Santos, Eurípedes Coelho de Castro, José Walter de Carvalho, Adão Moreira de Moura, José Antônio Viana, Ivanilton Tranqueira Sousa Gomes e cunhada Maria Lúcia.

O Grão Mestre Barbosa Nunes fez-se presente ao final da reunião, enfatizando a importância do Programa e o apoio que a equipe pode contar, pois o trabalho é a bandeira maior da maçonaria, que se tornou marca de credibilidade do Grande Oriente do Estado de Goiás e através do nosso site, conclama os Veneráveis Mestres a entrarem em contato com o Secretário Executivo Alberto Alves de Oliveira, para programações em suas comunidades.


Maçonaria goiana apoia projeto educacional


Em 2007 os Irmãos da Loja Vale do Bom Sucesso nº 149, Oriente de Senador Canedo, fizeram um trabalho na "Escola Municipal José Garcia de Souza" onde, como incentivo ao estudo e ao comportamento dos alunos, premiaram os 5 melhores do ano da 1ª a 5ª series, presenteando os contemplados com uma bicicleta. O projeto denominou-se: "ALUNO NOTA 10 ANDA DE BICICLETA".


O projeto fez tanto sucesso que foi repetido em 2008, 2009 e 2010. Em 2011, a Loja Vale do Bom Sucesso decidiu não levar o projeto adiante e os Irmãos da Loja Manoel Guilhermino nº 161 abraçaram a causa e assumiram totalmente o projeto cuja premiação se deu em 08 de dezembro passado com uma festa maravilhosa sendo oferecido após a cerimônia de premiação, um saboroso lanche para cerca de 500 pessoas.

Compareceram ainda ao evento os Irmãos Giuliano Vargas, Venerável Mestre, Agnaldo Melo, 1º Vigilante, Fábio Henrique, 2º Vigilante, Aguinaldo Vieira, Orador, Levy de Araújo, Secretário, Neilton Flávio, Tesoureiro, Jairo José, membro fundador e Cosme Damião, membro do quadro, todos acompanhados das Cunhadas. Vale salientar que desde o primeiro ano, a Escola vem melhorando em tudo; especialmente nas suas instalações.

Para este ano o projeto continua a coordenação do Projeto vai exigir um pouco mais dos alunos para que a escola venha a continuar sendo um exemplo para a comunidade local e para a Secretaria de Educação que está vendo com bons olhos o trabalho das professoras e da Diretora, professora Lucilene. Os alunos que se destacaram em 2011 foram:

  • 1ª Série, Laís
  • 2ª Série, Carolina
  • 3ª Série, Francine
  • 4ª Série, Gabriela
  • 5ª Série, Stéfane


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

GOEG | EM GRANDE COMEMORAÇÃO E HOMENAGEM LOJA LUZ E VIRTUDE COMPLETOU 60 ANOS


O Venerável João Barbosa de Oliveira, sua esposa Nilvani Aparecida, Presidente da Fraternidade Feminina, Diretoria da Loja e todos os componentes do quadro, comemoraram com muita galhardia e honra os 60 anos da Loja Luz e Virtude nº 1325, de Piracanjuba - Goiás, exatamente no dia de sua fundação, o que ocorreu em 19 de janeiro de 1952.

O centro de todo o evento foi o Irmão José Martins Ferreira, único fundador vivo da Loja, que presente recebeu placa, foi aplaudido de pé e muito bem de saúde e de excelente memória aos 88 anos de idade, fez um pronunciamento minucioso e detalhado de toda a sua vida presente nos grandes momentos da comunidade, entre eles fundação da loja, criação do Banco do Brasil, instituição do abrigo que até hoje funciona, trabalhos sociais, empresariais e políticos, sendo classificado pelo venerável João Barbosa de Oliveira, como "lenda viva". Anterior ao seu pronunciamento, o secretário da loja e ex-venerável Arthur José Pereira fez a leitura na integra do original da ata de fundação, lavrada em 19 de janeiro de 1952.

A sessão magna pública foi extraordinariamente prestigiada por maçons, cunhadas, sobrinhos, familiares do homenageado e amigos da região e de Goiânia, em número superior a 170 pessoas, ficando o templo super lotado.

Presentes se fizeram o Grão Mestre Estadual Barbosa Nunes, Grão Mestre Estadual Adjunto Luís Carlos de Castro Coelho, Presidente da Assembléia Estadual Legislativa Lazaro Naves, Representante do Poder Judiciário Maçônico Juiz Orimar de Bastos, Coordenador Regional José Lopes de Andrade, Conselheiro Estadual João Batista Machado, Secretários Estaduais Abel Tolentino, Tochio Iwace, Benedito Machado, Assessor Daniel Duarte, Deputados Federais Carlos Augusto Jorge, Atanair Vieira do Carmo, Aquiles Azevedo Soares, Iron Dias de Lima, Deputados Estaduais Ilio José de Oliveira, Joaquim de Oliveira e os Veneráveis Mestres Manoel Salustiano (Loja Ordem e União de Goiânia), Elis Marques (Loja Vale das Orquídeas de Piracanjuba), Jerônimo Maia de Mendonça (Loja Luz e Liberdade de Morrinhos) e José Osvaldo de Oliveira (Loja João Guerra de Piracanjuba).

A sessão foi cercada de intensos aplausos, muitas homenagens e fortes emoções, iniciando-se pela entrega de uma placa, a pedido do Venerável Mestre, feita pelo Grão Mestre Barbosa Nunes, que neste momento dirigindo-se ao Irmão José Martins Ferreira, afirmou que a explanação histórica de sua vida fez nos entender o quanto o Brasil neste momento, de políticos corruptos e desonestos está a necessitar de homens com a sua fibra e têmpera, quando então declarou que sozinho não tinha as devidas condições emocionais para entregar-lhe a placa, convidando para num só bloco e representando a maçonaria goiana para se juntar a ele o Grão Mestre Adjunto, Presidente da Assembléia Estadual, o Juiz do Tribunal Maçônico e o Venerável da Loja, quando nesta hora todos se levantaram e por minutos aplaudiram intensamente José Martins Ferreira.

Na sequência a Presidente da Fraternidade Feminina, Nilvani Aparecida em nome das cunhadas, prestou uma homenagem a esposa de José Martins, cunhada Petrônia, quando esta emocionada e as lágrimas fez um chamamento a todos os maçons presentes, dizendo que a história do seu marido será sem dúvida um estimulo e um exemplo para novas conquistas da loja e da cidade.

Vários dos presentes falaram, entre eles o Pastor Jeziel Nóbrega, da Igreja Quadrangular, manifestando a sua alegria em estar presente, quando conheceu dados importantes para a cidade de José Martins Ferreira, cumprimentando a loja e os seus integrantes pelo seu excelente trabalho durante os 60 anos de existência.

Encerrando ritualisticamente a sessão, vários irmãos usaram da palavra, todos enaltecendo o homenageado e cumprimentando o Venerável João Barbosa de Oliveira, pela condução de uma sessão organizada e muito justa, entre eles o Grão Mestre Adjunto, Presidente da Assembléia Estadual, Irmão Orimar de Bastos, que como Juiz da Comarca ali esteve durante dez anos e venerável da loja por duas vezes.

Concluindo usaram da palavra o Venerável Mestre, o orador Jaime Gomes de Souza e o Grão Mestre Barbosa Nunes, que mais uma vez ratificou os seus cumprimentos ao Venerável e aos Irmãos do quadro, bem como da admiração ao homenageado, que honra o Grande Oriente em tê-lo como integrante.

Após a sessão, ainda no templo o Irmão Abel Tolentino de Oliveira Júnior, Secretário de Informática e Divulgação, fez um registro histórico de todos os irmãos do quadro junto com o Grão Mestre e o Grão Mestre Adjunto, quando o Irmão Barbosa Nunes informou que presenteará a Loja com um poster daquela foto, como gravação para o futuro da significativa homenagem e comemoração dos 60 anos.

Quando todos se deslocaram para o salão social, muito bem ornamentado, local em que foi servido um saboroso jantar com deliciosa sobremesa e recebidos pelo casal João Barbosa de Oliveira e Nilvani Aparecida, o Grão Mestre Barbosa Nunes recebeu num gesto de muito carinho e irmandade, uma medalha comemorativa dos 100 anos da Palestine Lodge número 486, de Atlanta, Estados Unidos, através do Irmão Fouad Zakhour Rabahi e do seu filho Ricardo Fouad Rabahi, o primeiro recentemente em visita aos Estados Unidos e na loja que o seu outro filho frequenta naquele estado americano, Irmão Fábio Rabahi, foi presenteado com algumas medalhas, quando o Irmão Barbosa Nunes agradeceu e informou que a colocaria em um quadro para exposição no GOEG.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Efemérides 22 de Janeiro | Morre em Lisboa o diplomata Manuel Ferrajota Rocheta


Morre em Lisboa o diplomata Manuel Ferrajota Rocheta. Entrou em 1931 para o quadro diplomático e consular do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Desempenhou funções consulares em Hamburgo, Copenhaga. Primeiro secretário de legação em Bucareste, Dublin, Washington, onde passou a conselheiro de legação, encarregado de negócios e ministro plenipotenciário de 2ª classe. Director-geral adjunto dos Negócios Políticos do MNE em 1951. Participou nos trabalhos de organização da NATO. Embaixador em Londres até 1961.

Iniciado a 2 de Abril de 1930 na Loja Acácia, de Lisboa, com o nome simbólico de «Antero de Quental». Em 1935 ainda pertencia ao quadro da Loja.

Fonte: Grande Oriente Lusitano


sábado, 21 de janeiro de 2012

Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás acompanha a entrega de alimentos pelo Comitê de Cidadania dos funcionários do Banco do Brasil


O Comitê de Cidadania dos funcionários do Banco do Brasil e a Superintendência do BB em Goiás beneficiaram 115 instituições filantrópicas de Goiânia com a distribuição de 42 toneladas de alimentos.


A entrega foi acompanhada pelo Sereníssimo Grão Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás, Ruy Rocha de Macedo, do Grande Secretário de Relações Públicas da GLEG, Irmão Divino Rodrigues Freitas (que também é funcionário do Banco do Brasil), da presidenta do Comitê de Cidadania do Banco, Regina Catani, além do Superintendente Estadual do BB em Goiás, João Batista Trindade Filho e convidados. A solenidade foi realizada no dia 19 de dezembro último na agência central do Banco do Brasil em Goiânia, no centro da cidade. Militares do Exército e do Corpo de Bombeiros representando as duas instituições que também participaram da campanha estiveram presentes.

Na oportunidade o Grão Mestre da GLEG disse que “A Maçonaria acredita na união de todos para uma sociedade com mais justiça e igualdade e por isso parabenizo todas as pessoas envolvidas nessa iniciativa por esse louvável trabalho de solidariedade que vem desenvolvendo há quase duas décadas”.


Grande Oriente Lusitano | Património imobiliário de 30 milhões de euros?


Segundo DN, o Grande Oriente Lusitano (GOL), maior obediência da maçonaria em Portugal, terá um património imobiliário com um valor superior a 30 milhões de euros. Com mais de dois mil membros, o GOL tem no palácio maçónico do Bairro Alto, em Lisboa, um dos seus mais valiosos activos, com um valor patrimonial superior a 983 mil euros.


Rio Grande do Sul | FUNDAÇÃO MAÇÔNICA EDUCACIONAL - CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINARIA


Em face às disposições estatutárias vigentes, principalmente o exposto nos Art. 10, 11 e seus parágrafos;


Em atenção ao Art. 14 -b- e aos termos do Art.29 do Estatuto da FUNDAÇÃO MAÇÔNICA EDUCACIONAL; Vimos por este intermédio editar a presente Convocação para Assembléia Geral Extraordinária em:

  • DATA: 27 de Janeiro de 2012.
  • HORÁRIO: 1ª. Chamada -19 h. = 2ª. Chamada - 19:30 h.
  • LOCAL: Rua Lima e Silva 925, Sala. -1- (entrada pela Rua Lopo da Costa) - Porto Alegre - RS.
ORDEM DO DIA

  1. Apreciação do Relatório Anual das atividades da FME 2011 - mediante parecer;
  2. Apreciação do Parecer das Contas do Exercício encerrado em 31 de dezembro de 2010;
  3. Informe da Presidência sobre os Projetos em andamento e propostas 2012.

NOTA: "Art. 10 - A Assembléia Geral é o órgão máximo da FUNDAÇÃO e se compõe dos participantes fundadores e efetivos no exercício de seus direitos e quites com suas obrigações..."
Sendo o que tínhamos no momento, nos despedimos fraternalmente:


José Nivaldo Brissuela Brum
Presidente


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Grande Loja Maçônica de Minas Gerais é representada na troca de Comando do 12º Batalhão de Infantaria


Aconteceu em 10 de janeiro de 2012, a solenidade de passagem de Comando do 12º Batalhão de Infantaria, presidida pelo Comandante da 4ª Região Militar General Divisão Ilidio Gaspar Filho.

Assumiu o Comando o Tenente Coronel Alexandre José Santos, no lugar do Coronel Alcio Alves Almeida e Costa que assume o Gabinete Institucional em Brasilia.

Várias autoridades se fizeram presentes, e destacamos representando a Grande Loja Maçõnica de Minas Gerais o 2º Grande Vigilante Geraldo Eustáquio Coelho de Freitas e o Veneravel Mestre da Loja Maçõnica Manoel Deodoro da Fonseca 147 – Reginaldo Gutierrez Jordão.


O 12° Batalhão de Infantaria do Exército Brasileiro, é um batalhão da base ou quartel militar do Comando do exército da 4ª Região Militar, situado na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais. O 12° Batalhão da Infantaria conhecido popularmente e militarmente por 12BI, teve grande papel histórico na história do nosso país, sendo um dos pilares da revolução cívico-militar de 1964, e palco de decisões políticas militares na época do período militar.


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

"OS GABRIEL" NA HISTÓRIA DA MAÇONARIA GOIANA


No Brasil, uma das ramificações “dos Gabriel” iniciou-se em 1906, a partir de um libanês nascido em 21 de setembro de 1882. Nesse ano Elias Gabriel, com 24 anos de idade chegou ao nosso país. Aportou-se em Jaboticabal, fixando-se em seguida em São José do Rio Preto, cidades paulistas. Nesta última casou-se com Mahiba Elias Rahbane. Da união nasceram 9 filhos, dois falecidos ainda crianças. Os demais, 4 homens e 3 mulheres. Com vida, Ilza Gabriel Vilela reside em Goiânia com aproximadamente 90 anos de idade. Os outros partiram para o plano espiritual.

Elias Gabriel é admitido na Ordem Maçônica na Loja “Cosmos”, do Grande Oriente do Brasil, no dia 08 de março de 1920, em São José do Rio Preto. Seu cadastro assinado pelo ex-presidente Nilo Peçanha, Grão Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil de 23 de julho de 1917 à 24 de setembro de 1919.

Gabriel Elias Neto, Chafic Gabriel e Nasseri Gabriel

O maçom Nilo Peçanha na condição de vice-eleito, assumiu a presidência da República após a morte de Afonso Pena, exercendo o cargo de 14 de junho de 1909 a 15 de novembro de 1910. Transferiu-o para Hermes da Fonseca, vencedor da eleição disputada com o maçom Rui Barbosa. Posteriormente Nilo Peçanha retornou ao Senado. Novamente conduzido à presidência do Estado do Rio de Janeiro quando em 1917, renunciou ao cargo para assumir o Ministério das Relações Exteriores. Em 1918, novamente eleito Senador Federal. Voltou a ser candidato à presidência da República em 1921, derrotado por Artur Bernardes.

Este registro revela a importância da família Gabriel, originária do Oriente e iniciada na Ordem pela pena de um maçom marcante na vida política do país, que no exercício do cargo Grão Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, recepcionou documentalmente Elias Gabriel. Em 1943 Elias Gabriel mudou-se para Goiânia, filiando-se à Loja Liberdade e União, a primeira daElias Gabriel capital. Retornou a São José do Rio Preto onde faleceu e foi sepultado em 27 de março de 1948.

Em 21 de setembro de 1981, por iniciativa do maçom Mittermayer Sandoval, juntamente com Manoel de Oliveira Bastos Filho, Arlim Ribeiro Filho, Dinamério Nogueira, José Aloisio Silva Lobo, Manoel Pires Rosa e Joaquim Lázaro Machado em homenagem a Elias Gabriel e aos filhos que num esforço comum deram a vida em prol da maçonaria, fundou-se em Goiânia, a Loja “Elias Gabriel”, hoje plenamente estruturada e com atividade social extensa.

Os 4 filhos homens foram maçons. Pela ordem de nascimento Alexandre Gabriel (06.09.1910/01.11.2006), Chafic Gabriel (24.11.1914/10.11.2000), Nasseri Gabriel (07.04.1917/02.08.1990) e Gabriel Elias Netto (21.04.1921/21.10.1999), nascidos em São José do Rio Preto, com exceção de Chafic Gabriel que veio ao mundo em Nova Granada, municípios paulistas. Fizeram parte e vivenciaram suas atuações com mérito pessoal, comprometendo-se com as atividades, envolvendo-se com espíritos de liderança e muito influenciadores, congregando com muita facilidade, deixando eternamente na história da maçonaria goiana os seus nomes gravados.

Muito no Grande Oriente do Estado de Goiás e também na Sereníssima Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás, além de terem sido empreendedores no comércio goiano. Sempre residentes no centro da cidade e no antigo Bairro Popular, aposentando-se modestamente pelo regime celetista. Foram cidadãos construtores de amizades.

Alexandre Gabriel, ex-Venerável das Lojas “Liberdade e União” e “Ordem e Progresso”, trabalhou como administrador de negócios. Nasseri Gabriel foi proprietário do Lider Bar, local de referência para a sociedade, na Avenida Goiás. Posteriormente em sociedade com Chafic Gabriel e Gabriel Elias, fundaram conhecida loja da época, Exposição Goiana de Roupas, na Avenida Anhanguera com a Rua 6, no Centro. Na sequencia, Chafic Gabriel montou uma loja que até hoje existe na Avenida Araguaia, “Camisaria Gabriel”. Gabriel Elias Netto participando da vida política elegeu-se Vereador, Deputado Estadual, vice-prefeito na administração de Iris Rezende Machado, prefeito em algumas oportunidades e posteriormente Secretário Estadual de Serviços Sociais, na gestão de Otávio Lage de Siqueira. Nasseri Gabriel, Chafic Gabriel e Gabriel Elias, constituíram-se em um trio de relevância inigualável e inesquecível. Nasseri Gabriel, iniciado em 1949 e ex-Venerável das Lojas “Liberdade e União" e “Ordem e Progresso”, foi decisivo e liderou momentos que definiram o futuro da entidade em Goiás.

No dia 26 de outubro de 1957, como presidente da comissão organizadora, conduziu todo o preparo e o ato de fundação do Grande Oriente do Estado de Goiás, que neste ano completa 55 anos. Grande guerreiro dessa luta. Sem a sua tenacidade e abnegação, por certo tudo seria adiado. Eleito primeiro Grão Mestre interino teve como Adjunto Waltrudes Cunha Barbosa. Novamente por um mandato de 1959 a 1963.

Sempre batalhador. O seu busto ornamenta a entrada principal do Palácio Maçônico que leva o seu nome, sede do Grande Oriente do Estado de Goiás. Logo após a sua posse, mobilizou os maçons goianos e com 651 participantes, de 27 de janeiro a 2 de fevereiro de 1958, realizou a 1ª Semana Maçônica de Goiânia, organizada por ele, Octacílio Araujo Guimarães e Waldomiro Ribeiro de Paiva, com palestrantes de alto nível cultural e representativo, como Odorico Nery, Benedito Barreiras de Moraes, Rubens Carneiro dos Santos, Divino José de Oliveira, Luiz Ângelo Milazzo, Hilton Paranhos e Francisco Durval Veiga.

Nasseri Gabriel integrou a diretoria da FAMA em várias oportunidades e marcou sua passagem também como a maior figura de conhecimento ritualístico, tendo sido enquanto viveu o Orientador Litúrgico da Maçonaria Goiana.

Gabriel Elias Netto iniciado em março de 1948 na Loja “Ordem e Progresso” da Grande Loja, em Nova Granada-SP. Em Goiás Venerável das Lojas “Paz Universal”, “Educação e Moral” e “Elias Gabriel” (nome de seu pai). Em coincidência raríssima, talvez única no Brasil Maçônico, eleito exerceu em Goiás o cargo de Sereníssimo Grão Mestre da Grande Loja, período de 1957 a 1960, ao mesmo tempo em que seu irmão exercia o Grão Mestrado do Grande Oriente do Estado de Goiás. Período em que foi assinado o primeiro Tratado de Mútuo Reconhecimento, Fraternal Amizade e Estreita Colaboração entre as duas potências, relacionamento reforçado e muito forte nos dias atuais, sendo um exemplo para o Brasil.

Chafic Gabriel foi Venerável Mestre da Loja Liberdade e União nos períodos de 1971/1973, 1975/1977/1979, posteriormente eleito Grão Mestre Estadual Adjunto, tendo como companheiro de chapa Eurípedes Barsanulfo Junqueira e na sequência Grão Mestre Estadual por dois mandatos 1983/1987 e 1991/1995. Conciliador e grande negociador, deixou marca indelével no Grande Oriente, mantendo viva a chama dos ideais maçônicos, acesa em 1920 pelo pai Elias Gabriel. Ocupou várias funções de destaque no Grande Oriente do Brasil, inclusive membro do Conselho Federal e concorrido em eleição para Grão Mestre Geral Adjunto.

O pesquisador maçônico Luiz Gonzaga Marques, no livro de sua autoria, “Jubileu de Ouro” e os sites do Grande Oriente do Estado de Goiás, Grande Loja do Estado de Goiás, Lojas “Elias Gabriel” e “Liberdade e União”, me possibilitaram dados que resumi, pois a trajetória da família Gabriel, proporciona longos estudos sobre sua importância.

Alguns outros detalhes me foram transmitidos pelo filho de Nasseri Gabriel, maçom Alexandre Gabriel Sobrinho, membro da Loja “União e Progresso”, a quem muito agradeço.

Família Gabriel, marco eterno na maçonaria goiana, integrada pelos dignos membros Elias Gabriel (pai), filhos Alexandre Gabriel, Chafic Gabriel, Nasseri Gabriel e Gabriel Elias Netto, merecedores de reconhecimento e gravação nos anais históricos de Goiás, especialmente pelos exemplos de humildade e vida simples.

Artigo do Grão Mestre Barbosa Nunes publicado no Jornal Diário da Manhã no dia 14/01/2012


Promoção na GLEG para a família maçônica


A Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás em parceria com a GREEN PEL PAPELARIA E LIVRARIA e Editora Saraiva estão disponibilizando com desconto de 50% em Dicionários nos idiomas Português, Inglês, Espanhol e Dicionários Infantis. Para obter este desconto basta trazer um brinquedo novo ou semi-novo para cada dicionário desejado e este brinquedo será doado posteriormente à crianças carentes.

Local de venda: Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás e Green Pel Papelaria e Livraria (situada na Avenida dos Alpes Nº 867 Setor União, fone (62) 3287-3089.


Grão-Mestre José Moreno pede bom senso e silêncio a todos os maçons da GLLP


Grão-Mestre José Moreno pede bom senso e silêncio a todos os maçons da GLLP. O Grão-Mestre escreveu a todos os maçons para lhes pedir que se remetam ao silêncio e não falem sobre a Maçonaria publicamente. O Grão-Mestre vai falar publicamente, quando for oportuno. A todos os maçons que têm estado mais expostos publicamente, José Moreno pede bom senso e que protejam o bom nome da ordem.


segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Partido Comunista Português proíbe militantes maçons


Segundo Sol, o Partido Comunista Português (PCP) assume que barra aos seus militantes a pertença à maçonaria. «A filiação na maçonaria ou em qualquer outra organização de cariz secreto é incompatível com a condição de membro do PCP», afirma a direcção comunista, numa declaração escrita ao SOL. «O compromisso político de um membro do PCP é para com o seu partido, o seu projecto e ideal», explicam os comunistas. São uma excepção. No Bloco de Esquerda, a regra é a oposta, embora não haja maçons na direcção ou no Parlamento.


Os comunistas alinham, porém, com os outros partidos quando se discute a possibilidade de tornar obrigatória uma declaração de interesses aos maçons que queiram assumir cargos políticos. Neste momento nenhuma força partidária no Parlamento mostra vontade de avançar. A questão, para uns não é prioritária , para outros coloca dúvidas constitucionais ou é mesmo legalmente impossível.


sábado, 14 de janeiro de 2012

Apoio da mídia maçônica para Polícia Militar


Segundo Agência de Imprensa Maçonica Lusófona, a Agência de Imprensa Maçônica da Romênia apoiará mediaticamente a Operação Integrada Centro Legal da Polícia Militar do Estado de São Paulo. A pedido da APMR, JORNAL MAÇÔNICO vai aderir a esta iniciativa.

Desde o ano de 2009, a Polícia Militar em parceria com Órgãos do Governo do Estado e da Prefeitura do Município de São Paulo vêm desenvolvendo uma ação denominada “Operação Integrada Centro Legal”.


É de suma importância que a sociedade e suas forças vivas apoiem a Polícia Militar e os órgãos quem atuam na “Operação Integrada Centro Legal”.


Querem isolar a loja para destruir a Ongoing


A redação da A Bola: Mas últimas semanas, a loja que fundou em 2006, a Mozart, um dos ramos da Grande Loja Regular de Portugal (GLRP), tem estado no centro das atenções devido à sua composição: estão lá Jorge Silva Carvalho, ex-chefe das «secretas» , e altos quadros da Ongoing. António Neto da Silva, de 63 anos, maçon desde 1995m, diz que a Mozart e Silva Carvalho estão a ser usados com um objetivo concreto: destruir a Ongoing. Ex-secretário de Estado de Cavaco Silva e dirigente nacional do PSD durante a liderança de Durão Barroso, este empresário na área da engenharia espacial garante que os membros da loja são «pessoas de bem» e assegura que não existem «irregularidades» na Mozart.


Comunicação | GRANDE ORIENTE LUSITANO – MAÇONARIA PORTUGUESA


No difícil momento económico e social que Portugal vive e cujos efeitos na vida quotidiana dos cidadãos são infelizmente cada vez mais sentidos, é urgente saber orientar as energias para o que efectivamente é importante: a mobilização patriótica para as responsabilidades colectivas, num ambiente de paz, de esperança, de solidariedade e de coesão social.

O Grande Oriente Lusitano, fundado em 1802, além de ser a mais permanente instituição democrática portuguesa e a segunda mais antiga Obediência maçónica mundial em exercício continuado, não aceita ser envolvido em assuntos decorrentes de interesses empresariais conjunturais em que são projectadas posições anti-maçónicas que misturam velhas perspectivas anti-progressivas com pretensas abordagens pós-modernas enxertadas de algum aventureirismo intelectual pseudo-progressista.

Portugal conheceu em 1935 uma lei dita sobre “associações secretas” e é com mágoa que somos obrigados a denunciar, no Portugal de hoje, a retoma do projecto do então deputado do Estado Novo, José Cabral. Sobre esse projecto, Fernando Pessoa escreveu no Diário de Lisboa de 4 de Fevereiro desse ano: “Provei neste artigo que o projecto de lei do sr. José Cabral, além do produto da mais completa ignorância do assunto, seria, se fosse aprovado: primeiro, inútil e improfícuo; segundo, injusto e cruel; terceiro, um malefício para o País na sua vida internacional.”.

Para aqueles que, recém-convertidos ou indiferentes ao Estado de Direito Democrático, defendem que a Maçonaria não tem sentido em democracia e quando muito o teria no combate aos autoritarismos – que, de esquerda ou de direita nunca suportaram a Maçonaria – é bom lembrar quantos totalitarismos nasceram em democracias e que a indiferença é a mãe dos que só despertam quando, já tarde, a opressão lhes bate à porta.

Os ataques à Maçonaria, sejam eles de ontem, de hoje ou de amanhã, vêm sempre eivados do mesmo ódio aos princípios da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade e aos valores da Justiça e da Razão, verdadeiros alicerces do edifício onde se cultivam os Direitos Humanos. Vivemos hoje na Europa o mais longo período de paz pela qual lutaram e morreram muitos maçons e para cuja construção a Maçonaria muito tem contribuído.

Para os que alimentam desejos e ilusões autocráticas e exclusivistas, é bom lembrar uma recente decisão de uma das mais vibrantes instituições europeias, o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, que cortou cerce mais uma tentativa anti-maçónica, desta vez ocorrida na região italiana de “Friuli Venezia Giulia”, onde uma lei de 15 de Fevereiro de 2000 obrigava os candidatos a cargos públicos dessa região a declararem “a sua pertença a associações maçónicas ou, em todo o caso, de carácter secreto”.

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem concluiu que aquela lei constituía uma “violação do artigo 14 (interdição de discriminação) da Convenção Europeia dos Direitos do Homem combinado com o artigo 11 (liberdade de reunião e de associação)”, condenando a Itália por ter permitido tal lei e atribuindo 5.000 € de indemnização por gastos ao queixoso (Grande Oriente de Itália).

A evocação deste acórdão do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem não poderia ser mais oportuna no contexto recentemente gerado em Portugal em torno de uma questão em que uns por interesses gananciosos, alguns por vocação obscurantista e outros por oportunismo pseudo moderno querem fazer regredir direitos humanos arduamente conquistados e pelos quais, sem qualquer pretensão exclusivista, nem arrogância serôdia, continuamos na primeira linha da sua defesa e exaltação.


O Grão Mestre
Fernando Lima


sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

GLEG: Recadastramento Biométrico obrigatório para os eleitores do Município de Goiânia


A Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás lembra a todos e em especial Maçons, Cunhadas e Sobrinhos a importância do Recadastramento Biométrico obrigatório para os eleitores do Município de Goiânia.


Acessem ao site: www.tre-go.jus.br. Exerça seus direitos, VOTE e fortaleça a demogracia.


Nuno Magalhães assume ter ligações à Grande Loja Simbólica de Portugal


Segundo DN, o semanário "Sol" escreve que Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS, assume ter ligações à Grande Loja Simbólica de Portugal (GLSP) - uma obediência recente no país, com regras mais apertadas de secretismo, mais elitista, esotérica e tradicionalista do que o Grande Oriente Lusitano e a Grande Loja Legal de Portugal.


Não sendo maçon, Nuno Magalhães admite ter simpatia pela GLSP por razões familiares (a sua mulher é maçon desta obediência), indo a alguns encontros, conferências e jantares desta Loja.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A Igualdade na Maçonaria


Fonte: Grande Oriente do Brasil


Tema querido e sempre presente na vivência maçônica é a questão dos símbolos. A Ordem Maçônica é a única instituição iniciática que usa como símbolos, no labor interminável de aperfeiçoamento de seus participantes, os instrumento da construção civil, sugerindo a elevação de um templo universal, dedicado à humanidade, mas também vislumbrando o Templo interior do Homem.

A perfeita igualdade entre os maçons, por exemplo, é representada pelo Nível, que aplicado com sabedoria e elegância pelo governo da Oficina, destina-se a igualar a todos na missão sublime de erguer templos à virtude... Ninguém é superior a ninguém, embora alguns suportem carga maior de responsabilidade.

A personalidade humana é, por assim dizer, o revestimento pétreo, mundano, que esconde o Homem Universal, semelhante à divindade e objeto da busca maçônica. O Malho e o Cinzel são símbolos desse trabalho que temos de executar até o fim da vida, e que, se bem realizado, nos premia, a cada momento, com maior dose de felicidade.

A vestimenta do Maçom, o avental, também símbolo importante, não deve ser maculada com palavras ou pensamentos provindos da ociosidade mental, dominada pelas distinções mundanas, que “aqui, não as conhecemos”. A bata, o macacão, a toga, a farda, o fardão, a japona nada dizem do coração de quem os veste. O que interessa à Maçonaria é a roupagem etérea da virtude e da verdade, que circula em nossas Lojas purificando os sentimentos.

De fato, é um tanto cansativo à mentalidade secular, envolvida com as exigências do mercado em termos de competitividade e personalismo, compreender o nobre mister do maçom na constante afirmação de seus princípios e postulados e na prática diária que os justifiquem , mas é esse o destino irrecorrível do homem livre e de bons costumes, como dizemos nós, no âmbito da nossa centenária Instituição.

Este momento, que impele a cristandade para as comemorações natalinas, apresenta-se como oportunidade singular para que, com o justo emprego dos nossos símbolos, dediquemos nossas ações, nossas palavras e nossos pensamentos a reforçar o ideal maior de cada integrante do gênero humano: a perene felicidade!


Brasília - DF, 13 de dezembro de 2011


Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral


quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

José da Cruz Cardeal Policarpo, Patriarca de Lisboa, critica influência de maçons no Portugal


Segundo DN de Portugal, O grão-mestre da Grande Loja Legal de Portugal (GLLP), José Moreno, e mais de metade dos "irmãos" da GLLP e do GOL teriam de abdicar da sua fé católica, se seguissem o pensamento do cardeal patriarca de Lisboa. D. José Policarpo reafirmou ontem que "é incompatível" a condição de maçom e católico e criticou a influência da maçonaria na política.

O também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa pôs-se, no entanto, ao lado da grande maioria dos maçons num ponto: os políticos não devem ser obrigados a revelar a sua ligação à maçonaria.


D. José da Cruz Cardeal Policarpo é um cardeal português. Como D. José IV, é Patriarca de Lisboa desde 1998. Criado cardeal em 2001, desde essa data assume o título de Cardeal-Patriarca de Lisboa. Participou do Conclave de 2005, que elegeu Joseph Ratzinger como Papa Bento XVI, como cardeal votante. A 18 de Fevereiro de 2011, o próprio cardeal anunciou que enviou uma carta ao Papa Bento XVI, renunciando ao Patriarcado, uma vez que em 26 de Fevereiro completaria 75 anos, idade limite para o exercício da prelazia: "Ontem mesmo escrevi a carta ao Papa - está previsto no direito canónico que um bispo, quando cumpre os 75 anos, pede ao Santo Padre a resignação do seu mandato - e fico à espera da sua decisão".


Maçons do Paraguai para levar a maior hidroelétrica do mundo


De acordo com um documento oficial do governo do Paraguai, os membros da Centenária Grande Loja Simbólica do Paraguai foram nomeados para liderar a maior hidrelétrica do mundo, Itaipu Binacional.


Segundo Masonic Times e Diario Masonico, Octavio Augusto Airaldi (Venerável Mestre), Efrain Enriquez Gamon (Mestre Maçom) e Diego Bertolucci Vega (Past Grão-Mestre) são os três maçons que vou levar a maior hidrelétrica do mundo. O evento aconteceu em 3 de março de 2012, na presença de várias autoridades nacionais e do Grão-Mestre da essa Grande Loja, MR Carlos Alberto Quiñonez.


segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

A direção da Grande Loja Maçônica do Piauí será substituída no mês de agosto


Narciso Monte

A direção da Grande Loja Maçônica do Piauí será substituída no mês de agosto do ano em curso, pelo democrático critério de eleição, conforme dispõe a legislação vigente da Instituição.

O pleito eleitoral ocorrerá no primeiro sábado do próximo mês de maio, devendo as chapas concorrentes para os cargos de Grão-Mestre e Grão-Mestre Adjunto serem registradas até o dia 22 de abril. Para esses cargos o art. 57 da Constituição da Grande Loja só permite uma única reeleição.

Sob o manto do lema “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”, lideranças da entidade já se movimentam no sentido de formular suas propostas de renovação.

Um articulado grupo de próceres da Ordem já dispõe de uma chapa definida para concorrer à eleição, instruída com um inovador plano de governo a ser oportunamente divulgado entre a comunidade dos maçons, segundo informa o líder do grupo.

Espera-se que outras chapas sejam apresentadas, com vistas ao pleno exercício da ética maçônica e da democracia interna.


Fonte: 180 Graus


Maçonaria da Grande Loja Legal de Portugal controla Lisboa e Porto


A influência da maçonaria no aparelho do PSD tem crescido nos últimos meses. A maior distrital do País (Porto) tem na sua direção várias figuras com ligação à maçonaria, nomeadamente o secretário-geral, Ricardo Almeida, e o vice-presidente Miguel Santos.

Na distrital de Lisboa foi eleito para presidente, em novembro, Miguel Pinto Luz, que garante não ser maçom mas pertencer ao círculo íntimo de Alexandre Picoto, um influente maçom da GLLP e do partido. José Moreno comentou nos últimos dias: "A haver algo em jogo, serão outros interesses que não passam pela maçonaria."

Fonte


sábado, 7 de janeiro de 2012

PEQUI É FRUTO NOBRE - Artigo do Grão Mestre Barbosa Nunes


Apesar de ser considerado como fruto sem grande valor, muito comum, um “primo pobre das frutas”, o pequi que é uma árvore nativa do cerrado brasileiro, produz fruto tipicamente goiano, também muito utilizado na cozinha nordestina e no Mato Grosso. Tem alto valor na alimentação e exige ritualística para o seu consumo, diferente de algumas frutas nobres como uva, maçã, pêra, morango, caqui e outros, que são consumidos com rapidez e facilidade. Seu nome científico é Caryocar brasiliense.


É um símbolo do estado de Goiás, onde podem ser encontradas todas as variedades, com grande produção entre setembro e fevereiro. Existe também na Bolívia. No estado do Tocantins, há uma cidade com o nome de Pequizeiro. Todos os anos acontece a “Festa do Pequi”, em homenagem à árvore e o seu fruto. Em Minas Gerais, há um município denominado Pequi, distante 128 km de Belo Horizonte, onde ocorre uma tradicional festa denominada Expo Pequi.

Japoneses patentearam uma propriedade do óleo de pequi, batizada de CSL (Chemical Strengthener Layer), que, segundo as pesquisas, basta adicionar 50 mililitros de óleo de pequi a 4 litros de óleo mineral, para que se consiga o efeito da superdureza em qualquer material metálico.

Do pequi é extraído o azeite de pequi. É consumido cozido, puro ou juntamente com arroz e frango. Exige ritualística e cuidado de quem o consome. Sua polpa macia e saborosa deve ser comida com bastante cuidado, uma vez que a mesma recobre uma camada de finos espinhos. Se mordidos, fincam-se na língua e no céu da boca, provocando dores intensas. Portanto, há uma técnica de degustação do pequi, devendo ser comido apenas com as mãos, jamais com talheres, e levado à boca para ser, cuidadosamente, roído com os dentes, até que a parte amarela comece a ficar esbranquiçada. Neste momento, é hora de parar, antes que os espinhos apareçam.

O fruto do pequizeiro já foi muito utilizado na fabricação de sabão caseiro com propriedades terapêuticas. A massa do fruto é misturada a um líquido retirado das cinzas da árvore “Mamoninha”, mistura que levada ao fogo produz um sabão bastante macio, usado para lavar roupas, utensílios e higiene pessoal, pois faz bem para a pele e cabelos.

Seu sabor e aroma são muito marcantes e peculiares. Por isto, eis mais um motivo de você consumi-lo com os devidos cuidados. Com a mão, roendo o caroço, mas sem pressa e normalmente no almoço, em feriados, sábados, domingos, tempo de férias. Se você comer o pequi e ir para o trabalho, uma reunião social, o forte e inconfundível aroma o identificará. No jantar não é muito aconselhado, especialmente, tarde da noite.

No ano de 2001, o então senador pelo Rio de Janeiro, Saturnino Braga, retirou-se de uma sessão no Senado Federal, queixando-se de dores na boca. Examinado foi identificado pelo médico que os ferimentos causadores da dor, foram originados pouco antes quando comia uma de suas iguarias favoritas, o pequi.

O pequi é rico em vitaminas A, C e E, em sais minerais (fósforo, potássio e magnésio) e em carotenóides, que evitam a formação de radicais livres no corpo e previne a formação de tumores e doenças cardiovasculares. Não faz mal ao organismo nem provoca aumento de colesterol, comprovado pela experiência do biólogo Sérgio Grisólia, da Universidade de Brasília. Cozido ou congelado, preserva suas propriedades nutritivas ao contrário do que ocorre com a maioria dos vegetais. Sua polpa é altamente calórica.

A nutricionista Maria Naves, quanto ao sabor do pequi afirma: “Não há gosto similar”. “Ou você ama ou você odeia”, afirma o professor Grisólia.

O fruto foi descoberto pelos chefes de cozinha. Na capital Paulista existe um fino restaurante com o nome da fruta, Restaurante Pequi.

Além do consumo com frango ou arroz há outras formas de consumi-lo, como licor, picolé, farinha de amêndoa, óleo para tratamento de bronquites, gripes e resfriados, cremes, xampu e sabonetes, pois o caroço do pequi tem efeito revigorante para a pele e o cabelo. Também em conservas, hoje muito disponibilizadas nos mercados, porém, os tradicionais consumidores do pequi afirmam que sem o roer o caroço, não comê-lo com as mãos, não lambuzar a boca com óleo, o pequi perde o gosto.

A cultura popular diz que o perfume do pequi desperta paixões e que tem propriedades afrodisíacas. Durante a safra do pequi as mulheres engravidam com mais facilidade.

Patativa do Assaré, agricultor cujo nome é Antônio Iraildo Alves de Brito, cantador, poeta, violeiro, repentista e cordelista, com obra imortalizada, fala que Adão e Eva com satisfação, sem canseira, não precisando trabalhar e em meio a uma fartura de variedades frutíferas, comeram fruto de uma árvore proibida. Comparou “a fruta do pecado” com o pequi, que tem aroma forte e atrativo, de modo que se alguém chega numa casa onde se está preparando a comida com esse fruto, logo sente o cheiro.

Simbolicamente e com boa interpretação, no caroço há espinhos minúsculos e se não houver cuidado necessário, quem o consome pode se ferir, e assim Patativa se expressou:

“Dos otos todos tirava/ e comia a se fartá;/ mas daquele não comia./ Pruquê comendo, fazia/ grande pecado mortá. Esse fruito do pecado/ parece que tinham un quê,/ que a gente vendo ficava/ com vontade de comê./ Seu dotô, eu não sei não,/ mas faço avaliação/ que aquele fruito dali/ agradava a nosso orfato, como essa fruita do mato/ que o povo chama de PIQUI.”

Concluindo este artigo, considerando o pequi como fruto nobre e homenageando Bariani Ortêncio, folclorista, escritor, poeta membro da Academia Goiana de Letras, que lançou este ano em sétima edição o livro “Cozinha Goiana” – Editora Kelps, com 1200 receitas, indico uma receita pessoal de arroz com pequi, porém lembrando que o pequi não se come. Se rói com muita parcimônia e delicadeza.

Ingredientes: Um litro de pequi lavado “com polpa carnuda”, meia xícara de chá de óleo ou banha de porco, 3 dentes de alho espremidos, uma cebola picada, 5 xícaras de chá de arroz, 4 xícaras de chá de água quente, sal a gosto, pimenta de cheiro ou malagueta a gosto, salsinha, cebolinha picada a gosto.

Coloque o pequi no óleo ou banha fria, acrescente o alho e a cebola e deixe refogar em fogo baixo, mexendo sempre com uma colher de pau para não grudar na panela. Respingue um pouco de água quando for necessário, acrescentando o arroz e deixando fritar, depois que a água secar e o pequi estiver macio. Junte água, sal e quando o arroz estiver quase pronto, coloque a pimenta de cheiro ou malagueta a gosto. Na hora de servir, jogue salsa e cebolinha e um pouco de pimenta no arroz.

A todos um bom apetite!


Barbosa Nunes, advogado, ex-radialista, delegado de polícia aposentado, professor e Grão Mestre da Maçonaria Grande Oriente do Estado de Goiás


sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Secretário-Geral da APMR lamenta a forma como é denegrida a Loja Mozart e seus membros no Portugal


"Não é a primeira vez que isso acontece na Europa! Mas, infelizmente, há muito poucas coisas que podemos fazer em termos dessas atividades jornalísticas do mundo profano. Eu estou contente que até agora a Grande Loja Legal de Portugal não reagiu publicamente a estas acusações tendenciosas", disse hoje o Secretário-Geral da Agência de Imprensa Maçônica da Romênia (APMR).


"A Grande Loja Legal de Portugal é um fator importante no desenvolvimento da Maçonaria no mundo Lusófono. Grão-Mestre José Francisco Moreno é um homem de visão ampla do que a Maçonaria tem que ser tanto no mundo e em Portugal. Devemos ver as coisas com desprendimento e não partidarismo", concluiu o Secretário-Geral da APMR.


Portugal | Nove em cada dez deputados são liderados por maçons


No Jornal de Negocios (Portugal) se fala sobre os três líderes parlamentares que pertencem à maçonaria: Carlos Zorrinho (PS), Luís Montenegro (PSD) e, ficou-se a saber hoje, Nuno Magalhães (CDS-PP). Os três lideram, ao todo, 206 deputados (são 230), o que indica que 90% do Parlamento, ou nove em cada dez deputados, são liderados por maçons.

JN também fala sobre a Loja Mozart: A loja não se reúne, conta ao semanário fonte da maçonaria, e é acusada de não representar devidamente os ideais da maçonaria. Tanto que muitos dão como certo, no meio, que o grão-mestrado da Grande Loja Legal de Portugal, que engloba todas as lojas, se prepara para fechar a loja e distribuir os seus membros por outras lojas.


No artigo Vasco Lourenço, maçon, denuncia existência de gangs na maçonaria se fala sobre a posição adoptada pelo (General) Vasco Lourenço membro do Grande Oriente Lusitano e Mestre da Loja 25 de Abril.

Vasco Lourenço é um militar português na Reserva que pertenceu à Comissão Política do Movimento das Forças Armadas à época da Revolução dos Cravos.


François Stifani | Os ventos da mudança estão varrendo o continente negro



Como a oposição maçônica francesa observou ontem: "os ventos da mudança estão varrendo o continente negro", como mostra um artigo publicado no Masonic Times. Em uma publicação da Romênia, Jurnal Masonic, o título soa um pouco mais dramático: "Tsunami maçônico Europeu chega ao continente Africano".


Fonte: Agência de Imprensa Maçonica Lusófona

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Maçonaria em Cabo Verde (Eugénio Tavares, compadre e grande amigo do Grão-Mestre Casimiro Monteiro)


Eugénio de Paula Tavares (Ilha Brava, 18 de outubro de 1867 - Vila Nova Sintra 1 de junho de 1930), foi um jornalista, escritor, poeta e Maçom cabo-verdiano.

Em 18 de Outubro nasce na ilha Brava, no arquipélago de Cabo Verde, Eugénio de Paula Tavares, filho de Francisco de Paula Tavares e de Eugénia Nozolini Roiz Tavares, que morre em consequência do parto. Em 5 de Novembro, é baptizado na Igreja de São João Baptista, em Nova Sintra. 1870: Seu pai falece na Guiné, onde está em serviço do Estado português. Eugénio é acolhido pelo médico José Martins de Vera Cruz e por sua irmã, D. Eugénia da Vera Cruz Medina e Vasconcelos.


Em 1895 publica Manidjas (Canções) em crioulo. Em 1899 começa a publicar textos na Revista de Cabo Verde, editada em Lisboa. Em Junho de 1900, fugindo à perseguição das autoridades coloniais, exila-se nos Estados Unidos, onde inicia a edição do jornal Alvorada, cuja publicação se manterá até 1917.

Em 1 de Junho de 1930, falece na sua Brava natal, vítima de uma angina de peito. Em Fevereiro de 1932, por iniciativa do escritor português José Osório de Oliveira, amigo de Eugénio, é publicado pela Livraria J. Rodrigues & Cª. de Lisboa, o volume Mornas - Cantigas Crioulas, de acordo com uma selecção e com um prefácio que o autor fizera poucos meses antes da sua morte, em Nova Sintra.

No âmbito das comemorações portuguesas do duplo centenário, dos oitocentos anos da Fundação e dos trezentos da Restauração, o Governador de Cabo Verde desloca-se à Brava para inaugurar o mausoléu de Eugénio Tavares.


Eugénio Tavares na Maçonaria de Cabo Verde

Entre 1890 e 1900, frequenta a elite cultural que, formando-se no crisol intelectual da Brava, depressa irradia para as outras ilhas, inclusive para Santiago. Casa com D. Guiomar Leça, que será a sua companheira até ao fim da vida, uma esposa discreta, sem interferência na vida literária e política do marido.

Adere à Maçonaria, mas não se conhece com precisão a data da sua adesão. Casimiro Monteiro, grão-mestre da Maçonaria cabo-verdiana, é seu compadre e grande amigo.


Fonte: Vidas Lusófonas


quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil


A Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB) é uma associação de Grandes Lojas maçónicas sendo uma das Obediências Maçônicas do Brasil. A CMSB é uma entidade civil de direito privado, sem fins lucrativos, cuja função é coordenar ações conjuntas, que possam interessar às suas confederadas, sem que estas percam a sua autonomia.


Em 1952 iniciou-se um ciclo de mesas redondas a fim de que se orientasse a criação de uma Confederação que respeitasse as regionalidades das Grandes Lojas, mas as reunisse em um objetivo comum, no Brasil. Assim, em 12 de novembro de 1965, foi fundada a CMSB e instalada em julho de 1966.

A C.M.S.B. reúne-se em diferentes Estados da Federação, por ocasião da realização de sua Assembléia Geral Ordinária Anual, quando são debatidos os mais diferentes temas, quer de interesse interno, quer de interesse da sociedade, sempre objetivando a unidade das Grandes Lojas e o bem estar da pátria e da humanidade. Após a instalação da C.M.S.B., foram fundadas outras 9 Grandes Lojas.


Loja Maçonica Mozart (Grande Loja Legal de Portugal)


A Loja Maçonica Mozart No. 49 da Grande Loja Legal de Portugal, uma das mais influentes do Portugal. Terá cerca de 70 membros, Irmãos relacionados com os serviços de informações portugueses como Jorge Silva Carvalho, o ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED).


A Loja Maçonica Mozart No. 49 foi criada em 2006 pelo Irmão Paulo Noguês e António Neto da Silva, ex-deputado do PSD no Portugal.


Mensagem do Grão-Mestre José Francisco Moreno da Grande Loja Legal de Portugal


Sou daqueles que penso que a Maçonaria Regular não se escreve, pratica-se, vive-se. A Maçonaria Regular é alegria.

Sensações como estas são difíceis de passar ao papel. Não obstante, porque sou disciplinado, aqui vão os meus pensamentos, que não diferem do compromisso que assumi quando me candidatei ao honroso lugar de Grão-Mestre e, o que na altura dizia internamente é, também, o que agora posso referir exteriormente. Dizia então: "Não faço com esta candidatura agravo a ninguém, mas tenho a ousadia de pensar que temos Princípios. História, Coragem e Razão. Pretendemos construir pontes com a sociedade... A Maçonaria não é um gueto..."


Considero, assim, que a Maçonaria Regular não pode viver só da sua história, tem de saber adaptar-se, ser sensata, mas arrojada, tem de estar mais presente no mundo profano e esta publicação é já um primeiro passo.

Normalmente o ser humano rejeita o desconhecido. A Maçonaria Regular não é secreta, como alguns dizem, é legalmente discreta; não se justificando num Estado de Direito certas desconfianças, ou certos comportamentos negativos. Da nossa parte continuaremos a dar passos no sentido da transparência e da abertura à Sociedade, até porque em prol da Sociedade já a Maçonaria Regular trabalha.

O Maçom deve ser exemplar e constituir uma "elite de Homens bons". Alguém disse que um país no qual a juventude não tem oportunidades nem gosto em viver, é um país condenado.

A Maçonaria Regular é, em termos teóricos, muito antiga, mas em termos práticos a Grande Loja Legal de Portugal/G.L.R.P. é uma das mais jovens e das que mais jovens tem. A Maçonaria Regular defende UMA Sociedade em equilíbrio e, assim sendo, continuar a promover o recrutamento de seniores e de jovens. A juventude é a nossa aposta.

Solidariedade, Fraternidade e Liberdade são valores protegidos pela Maçonaria Regular, competindo-me fazer com que continuem a ser aperfeiçoados, de tal forma que nos perfilemos como uma Escola de Carácter e de Valores.

Pessoalmente e em termos da Grande Loja Legal de Portugal/G.L.R.P., pugnarei pelo respeito intransigente da Regularidade Maçónica, dos Landmarks da Constituição, dos Regulamentos e dos Rituais batalharei, incessantemente, pelo respeito pela diversidade de opiniões de todos os maçons, enquanto homens livres e de bons costumes, pela harmonia, pax e concórdia; promoverei uma presença discreta mas eficiente, junto dos Obreiros e seus familiares em prol da consolidação dos laços fraternos e de auxílio ao próximo, princípios que norteiam toda a Maçonaria Regular, não excluindo acções de filantropia repercutíveis na sociedade profana promoverei, também, o crescimento sustentado dos Irmãos e da Ordem, de forma a completar-se a sua expansão a todos os Distritos e Regiões Autónomas. Continuaremos a crescer, mas sempre muito exigentes no recrutamento.

A Grande Loja Legal de Portugal/G.L.R.P. dará continuidade à aposta estratégica nas relações com as principais Potências Maçónicas mundiais, com os países lusófonos e ibero-americanos, assim como manterá o relacionamento sadio existente com as autoridades Civis e Religiosas.

E certamente que tudo farei para que o nosso trabalho maçónico seja activo, fraterno, articulado e solidário. Para a elevação moral da Humanidade, o desempenho exemplar dos Maçons é imprescindível, pelo que, o futuro é da Maçonaria Regular. Tenho a responsabilidade de suceder a um maçom exemplar e de uma dedicação e disponibilidade sem limites, pelo que a minha tarefa não é fácil.

Os propósitos que acabo de mencionar só serão atingidos com o empenhamento de todos os meus Irmãos, incluindo o dos ex Grão-Mestres que, estou certo, não me faltarão.


José Francisco Moreno
Grão-Mestre
Grande Loja Legal de Portugal


Luís Montenegro pertence à Loja Maçónica Mozart de que faz parte Jorge Silva Carvalho, o ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa


De acordo com um documento da Grande Loja Legal de Portugal a que o Expresso teve acesso, o advogado Luís Montenegro (Luís Filipe Montenegro Cardoso de Morais Esteves), atual chefe da bancada do PSD, pertence à Mozart, a loja maçónica de que faz parte Jorge Silva Carvalho, o ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED).

Grão-Mestre de Rondônia Juscelino Amaral representará a Casa Civil


O novo secretário saberá representar muito bem os republicanos de Rondônia e será sempre pautado pela ética e princípios igualitários maçônicos, afirma o presidente regional do PRAs habilidades necessárias para propor o diálogo, a harmonia entre os Poderes, o compromisso ético e o tratamento igualitário devem ser as grandes marcas do novo secretário-chefe da Casa Civil, Juscelino Moraes do Amaral, acredita o presidente regional do PR em Rondônia, Miguel de Souza.


Fonte: O NORTÃO

Governo dos EUA se recusa a permitir que o Grão-Mestre José Ramón González Díaz entre nos Estados Unidos


A Maçonaria Regular em Cuba entra na atenção da mídia após que os líderes da Grande Loja de Cuba não ter recebido um visto para entrar nos Estados Unidos, onde eles estavam recebendo um convite da Grande Loja da Florida.


Você pode ler mais informações na edição de hoje da Agência de Imprensa Maçônica da Romênia.


terça-feira, 3 de janeiro de 2012

NOTA DE FALECIMENTO - Grande Oriente do Estado de Goiás


O Grande Oriente do Estado de Goiás comunica o falecimento ocorrido na manhã desta terça-feira, dia 03 de janeiro, do Irmão ANTÔNIO CAPEL GARCIA, membro e iniciado na Loja Maçônica Ordem e Progresso 1196, de Goiânia GO, em 09/12/1969, estando com 42 anos de vida maçônica ininterrupta. Nascido em 15/01/1929 em Barcelona.Muito participante do rito de York, sendo filiado as Lojas Maçônicas João XXIII, Ordem e União, Pesquisa Brasil Central e Templários do Oriente.

Era pai do Irmão Francisco Fernandes Capel (paco). Capel ocupou vários cargos em administrações do Grande Oriente do Estado de Goiás. O velorio esta ocorrendo no cemitério Jardim das Palmeiras, onde será realizado o sepultamento em horário ainda não definido, ao final do dia de hoje. Maiores informações junto ao Cemitério Jardim das Palmeiras pelo telefone: 3211-1444.

O Grão-Mestre Barbosa Nunes lamenta pelo falecimento deste valoroso Irmão, envia condolências aos familiares.


Rio Branco, sede da XLI Assembléia Geral Ordinária da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil


Rio Branco é um município brasileiro, capital do estado do Acre, distando 3.123 quilômetros da capital Brasília. Localiza-se às margens do Rio Acre, no Vale do Acre e na microrregião homônima.

Principal município do estado, de acordo com uma estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), até agosto de 2011, a cidade possui uma população de 342 298 habitantes, o qual a coloca como a sexta maior cidade da Região Norte e a 66ª maior do Brasil. Sua área territorial é de 9 222,58 km², sendo o quinto município do estado em tamanho territorial. De toda essa área, 44,90 km² estão em perímetro urbano, o que classifica Rio Branco como sendo a 66ª maior do país.


O Aeroporto Internacional de Rio Branco que fica no quilômetro 18 da BR-364 na zona rural do município. O local foi construído em 1999, já que o aeroporto da época, o Aeroporto Internacional Presidente Médici, estava instalado numa área pertencente a um particular que, na justiça, conseguiu a reintegração de posse.

Palácio Rio Branco. É um dos mais famosos palácios de Rio Branco, construído em 1930 para abrigar a sede do governo do estado. Em 1999, iniciou-se um processo de restauração do imóvel, respeitando suas características históricas e seu inegável valor político, arquitetônico e cultural. Em 2008 foi transformado em um museu, onde são expostos fatos importantes da história do estado desde os seus primórdios.

Catedral de Nossa Senhora de Nazaré. Inaugurada em 1959, é uma construção em estilo romano - basilical. No seu interior, possui três naves separadas com 36 vitrais coloridos na parte superior e 11 na inferior, doados por famílias acreanas. A parte exterior é formada por frontões, cruz e adro. Em 2007, a igreja foi considerada patrimônio público do estado do Acre.

Devido à sua ocupação territorial ter sido feita por colonos nordestinos (refugiados da seca do Nordeste), entre o final do século XIX e o início do século XX, a cultura da região, assim como a gastronomia regional, sofreram fortes influências. Sendo assim a cultura da cidade tem um forte toque nordestino.


Maçonaria distribui cestas de alimentos para as famílias carentes em Maués


A Loja Maçônica Hamilton Mourão nº 29 distribuiu no sábado, 24, véspera de Natal, 1.300 cestas alimentícias para famílias carentes no município de Maués. As informações são do Venerável Mestre, José Raimundo Nonato Marinho Filho, que visitou o Grão-Mestre, Átila Tuma, na tarde desta quinta-feira, 29.


Durante a visita o Venerável informou que a distribuição ocorreu de forma tranqüila e a ação contou com a participação de sobrinhos, clube das acácias formado pelas esposas dos maçons e de demais irmãos.


“As cunhadas auxiliaram com a distribuição de sopas para quem recebia a cesta, para 2012 pretendemos realizar a distribuição de sopas em todos os bairros da cidade de Maués. Até o final do veneralato, em agosto, vamos distribuir sopas em oito bairros do município”.


GRÃO-MESTRE RECEBE TÍTULO DE CIDADÃO SERRANO


No dia 26.12.2011, o Sereníssimo Grão-Mestre Aides Bertoldo da Silva da Grande Loja do Espírito Santo, em Sessão Solene realizada na Câmara Municipal da Serra recebeu o título de “Cidadão Serrano”, por proposição do vereador João Luiz Teixeira.


Ao receber a maior distinção oferecida pela Câmara Municipal da Serra, só outorgada às pessoas ilustres e que colaboraram de forma preponderante para o desenvolvimento do Município, o Sereníssimo Grão-Mestre compartilhou com todos os irmãos a honraria e principalmente aos membros das Lojas jurisdicionadas daquele Município, sem o que o trabalho profícuo ali realizado não seria possível.


.

.