"OS GABRIEL" NA HISTÓRIA DA MAÇONARIA GOIANA

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

"OS GABRIEL" NA HISTÓRIA DA MAÇONARIA GOIANA


No Brasil, uma das ramificações “dos Gabriel” iniciou-se em 1906, a partir de um libanês nascido em 21 de setembro de 1882. Nesse ano Elias Gabriel, com 24 anos de idade chegou ao nosso país. Aportou-se em Jaboticabal, fixando-se em seguida em São José do Rio Preto, cidades paulistas. Nesta última casou-se com Mahiba Elias Rahbane. Da união nasceram 9 filhos, dois falecidos ainda crianças. Os demais, 4 homens e 3 mulheres. Com vida, Ilza Gabriel Vilela reside em Goiânia com aproximadamente 90 anos de idade. Os outros partiram para o plano espiritual.

Elias Gabriel é admitido na Ordem Maçônica na Loja “Cosmos”, do Grande Oriente do Brasil, no dia 08 de março de 1920, em São José do Rio Preto. Seu cadastro assinado pelo ex-presidente Nilo Peçanha, Grão Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil de 23 de julho de 1917 à 24 de setembro de 1919.

Gabriel Elias Neto, Chafic Gabriel e Nasseri Gabriel

O maçom Nilo Peçanha na condição de vice-eleito, assumiu a presidência da República após a morte de Afonso Pena, exercendo o cargo de 14 de junho de 1909 a 15 de novembro de 1910. Transferiu-o para Hermes da Fonseca, vencedor da eleição disputada com o maçom Rui Barbosa. Posteriormente Nilo Peçanha retornou ao Senado. Novamente conduzido à presidência do Estado do Rio de Janeiro quando em 1917, renunciou ao cargo para assumir o Ministério das Relações Exteriores. Em 1918, novamente eleito Senador Federal. Voltou a ser candidato à presidência da República em 1921, derrotado por Artur Bernardes.

Este registro revela a importância da família Gabriel, originária do Oriente e iniciada na Ordem pela pena de um maçom marcante na vida política do país, que no exercício do cargo Grão Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, recepcionou documentalmente Elias Gabriel. Em 1943 Elias Gabriel mudou-se para Goiânia, filiando-se à Loja Liberdade e União, a primeira daElias Gabriel capital. Retornou a São José do Rio Preto onde faleceu e foi sepultado em 27 de março de 1948.

Em 21 de setembro de 1981, por iniciativa do maçom Mittermayer Sandoval, juntamente com Manoel de Oliveira Bastos Filho, Arlim Ribeiro Filho, Dinamério Nogueira, José Aloisio Silva Lobo, Manoel Pires Rosa e Joaquim Lázaro Machado em homenagem a Elias Gabriel e aos filhos que num esforço comum deram a vida em prol da maçonaria, fundou-se em Goiânia, a Loja “Elias Gabriel”, hoje plenamente estruturada e com atividade social extensa.

Os 4 filhos homens foram maçons. Pela ordem de nascimento Alexandre Gabriel (06.09.1910/01.11.2006), Chafic Gabriel (24.11.1914/10.11.2000), Nasseri Gabriel (07.04.1917/02.08.1990) e Gabriel Elias Netto (21.04.1921/21.10.1999), nascidos em São José do Rio Preto, com exceção de Chafic Gabriel que veio ao mundo em Nova Granada, municípios paulistas. Fizeram parte e vivenciaram suas atuações com mérito pessoal, comprometendo-se com as atividades, envolvendo-se com espíritos de liderança e muito influenciadores, congregando com muita facilidade, deixando eternamente na história da maçonaria goiana os seus nomes gravados.

Muito no Grande Oriente do Estado de Goiás e também na Sereníssima Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás, além de terem sido empreendedores no comércio goiano. Sempre residentes no centro da cidade e no antigo Bairro Popular, aposentando-se modestamente pelo regime celetista. Foram cidadãos construtores de amizades.

Alexandre Gabriel, ex-Venerável das Lojas “Liberdade e União” e “Ordem e Progresso”, trabalhou como administrador de negócios. Nasseri Gabriel foi proprietário do Lider Bar, local de referência para a sociedade, na Avenida Goiás. Posteriormente em sociedade com Chafic Gabriel e Gabriel Elias, fundaram conhecida loja da época, Exposição Goiana de Roupas, na Avenida Anhanguera com a Rua 6, no Centro. Na sequencia, Chafic Gabriel montou uma loja que até hoje existe na Avenida Araguaia, “Camisaria Gabriel”. Gabriel Elias Netto participando da vida política elegeu-se Vereador, Deputado Estadual, vice-prefeito na administração de Iris Rezende Machado, prefeito em algumas oportunidades e posteriormente Secretário Estadual de Serviços Sociais, na gestão de Otávio Lage de Siqueira. Nasseri Gabriel, Chafic Gabriel e Gabriel Elias, constituíram-se em um trio de relevância inigualável e inesquecível. Nasseri Gabriel, iniciado em 1949 e ex-Venerável das Lojas “Liberdade e União" e “Ordem e Progresso”, foi decisivo e liderou momentos que definiram o futuro da entidade em Goiás.

No dia 26 de outubro de 1957, como presidente da comissão organizadora, conduziu todo o preparo e o ato de fundação do Grande Oriente do Estado de Goiás, que neste ano completa 55 anos. Grande guerreiro dessa luta. Sem a sua tenacidade e abnegação, por certo tudo seria adiado. Eleito primeiro Grão Mestre interino teve como Adjunto Waltrudes Cunha Barbosa. Novamente por um mandato de 1959 a 1963.

Sempre batalhador. O seu busto ornamenta a entrada principal do Palácio Maçônico que leva o seu nome, sede do Grande Oriente do Estado de Goiás. Logo após a sua posse, mobilizou os maçons goianos e com 651 participantes, de 27 de janeiro a 2 de fevereiro de 1958, realizou a 1ª Semana Maçônica de Goiânia, organizada por ele, Octacílio Araujo Guimarães e Waldomiro Ribeiro de Paiva, com palestrantes de alto nível cultural e representativo, como Odorico Nery, Benedito Barreiras de Moraes, Rubens Carneiro dos Santos, Divino José de Oliveira, Luiz Ângelo Milazzo, Hilton Paranhos e Francisco Durval Veiga.

Nasseri Gabriel integrou a diretoria da FAMA em várias oportunidades e marcou sua passagem também como a maior figura de conhecimento ritualístico, tendo sido enquanto viveu o Orientador Litúrgico da Maçonaria Goiana.

Gabriel Elias Netto iniciado em março de 1948 na Loja “Ordem e Progresso” da Grande Loja, em Nova Granada-SP. Em Goiás Venerável das Lojas “Paz Universal”, “Educação e Moral” e “Elias Gabriel” (nome de seu pai). Em coincidência raríssima, talvez única no Brasil Maçônico, eleito exerceu em Goiás o cargo de Sereníssimo Grão Mestre da Grande Loja, período de 1957 a 1960, ao mesmo tempo em que seu irmão exercia o Grão Mestrado do Grande Oriente do Estado de Goiás. Período em que foi assinado o primeiro Tratado de Mútuo Reconhecimento, Fraternal Amizade e Estreita Colaboração entre as duas potências, relacionamento reforçado e muito forte nos dias atuais, sendo um exemplo para o Brasil.

Chafic Gabriel foi Venerável Mestre da Loja Liberdade e União nos períodos de 1971/1973, 1975/1977/1979, posteriormente eleito Grão Mestre Estadual Adjunto, tendo como companheiro de chapa Eurípedes Barsanulfo Junqueira e na sequência Grão Mestre Estadual por dois mandatos 1983/1987 e 1991/1995. Conciliador e grande negociador, deixou marca indelével no Grande Oriente, mantendo viva a chama dos ideais maçônicos, acesa em 1920 pelo pai Elias Gabriel. Ocupou várias funções de destaque no Grande Oriente do Brasil, inclusive membro do Conselho Federal e concorrido em eleição para Grão Mestre Geral Adjunto.

O pesquisador maçônico Luiz Gonzaga Marques, no livro de sua autoria, “Jubileu de Ouro” e os sites do Grande Oriente do Estado de Goiás, Grande Loja do Estado de Goiás, Lojas “Elias Gabriel” e “Liberdade e União”, me possibilitaram dados que resumi, pois a trajetória da família Gabriel, proporciona longos estudos sobre sua importância.

Alguns outros detalhes me foram transmitidos pelo filho de Nasseri Gabriel, maçom Alexandre Gabriel Sobrinho, membro da Loja “União e Progresso”, a quem muito agradeço.

Família Gabriel, marco eterno na maçonaria goiana, integrada pelos dignos membros Elias Gabriel (pai), filhos Alexandre Gabriel, Chafic Gabriel, Nasseri Gabriel e Gabriel Elias Netto, merecedores de reconhecimento e gravação nos anais históricos de Goiás, especialmente pelos exemplos de humildade e vida simples.

Artigo do Grão Mestre Barbosa Nunes publicado no Jornal Diário da Manhã no dia 14/01/2012


Você gosto?

.

.