O Mistério da Crise

segunda-feira, 6 de abril de 2009

O Mistério da Crise



Pronunciamento do Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Soberano Irmão Marcos José da Silva, em 02 de abril de 2009.

A crise econômica segue o seu curso, afetando praticamente todos os países, levando sérias preocupações aos estadistas, deixando os especialistas, comentaristas, críticos da economia e o homem comum inteiramente perdidos em face do incerto futuro da nova ordem instalada para servir ao mundo unipolar.

Num passado não muito longínquo, assistimos ao surgimento da nova ordem nazista, que pretendia governar o mundo por um período de mil anos, conforme disseminava a propaganda hitleriana, enquanto se comprazia em tirar a vida de muitos milhões de seres humanos.

Essa ilusão terminou sob os escombros de Berlim, em 1945, enquanto a ordem soviética se fortalecia consideravelmente e progredia deixando em sua esteira outros milhões de sacrificados pelo sangrento regime que desabou em 1989, novamente em Berlim, com o famoso muro de horrível memória.

Precisamente hoje, em Londres, os 20 países ricos do mundo estudam a maneira de se livrarem desta nova ordem da globalização e do neoliberalismo, criada pelos beneficiários da supressão de planos anteriores de dominação dos povos e que está levando a mundo a um desastre.

Nesta reunião do G-20 o nosso País está presente, na qualidade de vítima da conspiração mundial contra a presença forte do Estado, contra a autodeterminação dos povos, contra o livre desenvolvimento dos países. Não fosse a percepção antecipada de nossos líderes, teríamos mais uma vez caído no laço traiçoeiro dos aproveitadores.

Agora vemos que os estados estão socorrendo o mercado, o famoso mercado todo poderoso que não foi capaz de resolver seus problemas e ainda criou problemas para o Estado; e ainda, acintosamente, alguns defensores da perseguição aos países mais fracos vêm de apregoar o protecionismo em suas alfândegas.

Que o velho machado, esse instrumento que no passado derrubava cedros no Líbano para construir algo positivo, sirva agora para derrubar essas barreiras à circulação das riquezas e ajude a construir uma nova sociedade, justa e fraterna, que substitua essa moribunda nova ordem dos mercadores sem alma e sem compaixão.


Brasília, 02.04.2009



Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral
Você gosto?

.

.