Mensagem do Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Mensagem do Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano



O Grande Oriente Lusitano – Maçonaria Portuguesa é a mais antiga e representativa obediência maçónica portuguesa. Fundado em 1802, esteve nas origens da Revolução Liberal de 1820 e da Revolução Republicana de 1910. Forçado à clandestinidade pela Ditadura de Salazar, resistiu até ao limite das suas forças às perseguições de que foi vítima.



A Revolução de 25 de Abril permitiu-lhe recuperar parte do seu património e reorganizar-se na sociedade portuguesa, atraindo novas gerações de cidadãos, participantes activos na defesa e difusão dos seus valores.Legítimo depositário entre nós da preciosa herança da tradição maçónica universal, tem vindo a afirmar-se com força crescente no novo Portugal democrático, ciente do seu papel insubstituível na construção de um país mais livre, mais justo e mais fraterno.



A Maçonaria é uma Ordem iniciática empenhada no culto dos valores universais da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade, que visa o aperfeiçoamento moral de cada indivíduo e da Humanidade como tal. A Maçonaria não aceita dogmas, combate todas as formas de opressão sobre o Homem, e luta contra o terror, a miséria, o sectarismo e a ignorância, combate a corrupção e enaltece o mérito. Ao contrário do que alguns querem fazer crer quando a relegam para o museu da História, ela continua a fazer todo o sentido num mundo ainda hoje afogado em tacanhos materialismos ou dividido pelos dogmatismos e fundamentalismos religiosos. Um mundo que continua a precisar de quem eleve e una os homens na prática de uma moral universal. Ora esse agente de elevação e de unidade moral tem sido desde há séculos a maçonaria universal.



Instrumento de resposta à exigência ético-espiritual dos cidadãos que não se resignam às habituais formas de participação cívica e entendem necessária uma reflexão mais aprofundada e uma cidadania mais coerente, empenhada na prática da solidariedade, o Grande Oriente Lusitano assume-se como uma vanguarda ética, que não política, acima das divisões partidárias e religiosas. No seu seio reúnem-se tanto crentes de diversas religiões, como agnósticos e ateus, tanto cidadãos independentes, como militantes de diversos partidos políticos e associações. Unidos no respeito pelos princípios da Razão, da Tolerância e da Liberdade de Consciência, é seu objectivo fazerem do Grande Oriente Lusitano-Maçonaria Portuguesa uma alta escola de valores éticos e cívicos, formadora de um escol que sirva de exemplo mobilizador para todos os cidadãos nos vários sectores e dimensões da actividade humana, de forma a influenciar positivamente a evolução da sociedade.



Durante muito tempo acusados de sermos uma organização interessada apenas no bem-estar dos seus próprios membros, esperamos ter agora a oportunidade de, através deste portal electrónico, fornecer informação a quem tenha um genuíno desejo de aprofundar as origens, o pensamento, os verdadeiros fins e o sentido actual da nossa Ordem.



António Reis

Grão-Mestre



Grande Oriente Lusitano

Maçonaria Portuguesa



Você gosto?

.

.