Oscar Niemeyer, o "cidadão ilustre" do Mercosul e arquiteto do Brasil moderno, morreu aos 140 anos de idade

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Oscar Niemeyer, o "cidadão ilustre" do Mercosul e arquiteto do Brasil moderno, morreu aos 140 anos de idade


O arquiteto morreu na quarta-feira (5) à noite aos 104. O corpo vai ser sepultado na sexta-feira (7), no Rio de Janeiro.  Até os últimos momentos ele permaneceu lúcido, só perdeu a consciência na quarta de manhã. E falava em novos projetos, novos trabalhos, informa Globo.



A Agência de Imprensa Maçônica da Roménia disse em un artigo de hoje que Morreu Oscar Niemeyer, o arquiteto do Brasil moderno. O arquiteto mais famoso do Brasil e um dos maiores arquitetos do mundo moderno, Niemeyer foi um dos pais da arquitetura moderna. Niemeyer participou da construção da atual capital do Brasil, da Cidade Administrativa de Minas Gerais etc.

O senador federal e Irmão Mozarildo Cavalcanti em seu Facebook disse ha um minuto: "Falei agora encaminhando requerimento de suspensão da sessão de hoje do Senado em homenagem a Oscar Niemeyer".


Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares GCSE • ComIH (Rio de Janeiro, 15 de dezembro de 1907 - Rio de Janeiro, 5 de dezembro de 2012) foi o arquiteto brasileiro de nome mais influente na arquitetura moderna. Foi pioneiro na exploração das possibilidades construtivas e plásticas do concreto armado, e por este motivo teve grande fama nacional e internacional desde a década de 1940. Seus trabalhos mais conhecidos são os edifícios públicos que projetou para a cidade de Brasília, embora possua um grande corpo de trabalho desde sua graduação pela Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro em 1934.

Em 1957, Niemeyer abre um concurso público para o Plano Piloto de Brasília, a nova capital. O projeto vencedor é o apresentado por Lúcio Costa, seu amigo e ex-patrão. Niemeyer, arquiteto escolhido por Juscelino, seria responsável pelos projetos dos edifícios, enquanto Lúcio Costa desenvolveria o plano da cidade. Brasília foi um grande desafio; a cidade foi construída na velocidade de um mandato, e Niemeyer teve de planejar uma série de edifícios em poucos meses para configurá-la. Entre os de maior destaque estão a residência do Presidente (Palácio da Alvorada), o Edifício do Congresso Nacional (Câmara dos Deputados e Senado Federal), a Catedral de Brasília, os prédios dos ministérios, a sede do governo (Palácio do Planalto) além de prédios residenciais e comerciais.

Niemeyer também produziu mobílias de design, levando à madeira prensada as curvas que já aplicava ao concreto. Foi um dos pioneiros no design de móveis no Brasil. Projetou o mobiliário do Palácio da Alvorada, o da Sede do Partido Comunista Francês e alguns móveis em parceria com a filha, na década de 1970. Os móveis de Niemeyer foram expostos em diversos museus brasileiros e salões e feiras internacionais.

Em 2007 foi lançado o documentário sobre vida e obra de Oscar Niemeyer, A vida é um sopro, com direção e roteiro de Fabiano Maciel.


Você gosto?

.

.